salvaialmas


Novenas
  • Voltar






24/10/2015
Novena a Maria Mãe do Universo - Diácono Luiz Carlos Pavan
Esta novena foi baseada num artigo dos Arautos do Evangelho e no Catecismo



NOVENA A MARIA, MÃE DO UNIVERSO
 
 
Todos os dias
1. Sinal da Cruz
2. 3 Glórias à Santíssima Trindade
3. Louvor à Maria, Mãe do Universo
Um dia, ó Mãe, revelastes à Beata Maria de Jesus de Ágreda que estáveis junto de Deus Pai na Criação do Mundo. E para mostrar este fato, mandastes proclamar e meditar Prov. 8, 22-31: 
22. O Senhor “me criou, primícia de sua obra, de seus feitos mais antigos.
23. Desde a eternidade fui estabelecida, desde o princípio, antes da origem da terra.
24. Quando os abismos não existiam, eu fui gerada, quando não existiam os mananciais das águas.
25. Antes que as montanhas fossem implantadas, antes das colinas, eu fui gerada;
26. ele ainda não havia feito a terra e a erva,  nem os primeiros elementos do mundo.
27. Quando firmava os céus, lá eu estava, quando traçava a abóboda sobre a face do abismo;
28. quando condensava as nuvens no alto, quando se enchiam as fontes do abismo;
29. quando punha um limite ao mar: e as águas não ultrapassavam o seu mandamento, quando assentava os fundamentos da terra.
30. Eu estava junto com ele como o mestre-de-obras, eu era o seu encanto todos os dias, todo o tempo brincava em sua presença:
31. brincava na superfície da terra, e me alegrava com os homens.”
 
Hoje, vós vos revelais como Maria, Mãe do Universo.
Estamos aqui, para que vós intercedais por nós e para nós junto ao vosso Divino Esposo, o Espírito Santo, os frutos deste mesmo Espírito.
O fruto do espírito é a caridade, a alegria, a paz, a paciência, a longanimidade, a bondade, a benignidade, a mansidão, a fidelidade, a modéstia, a continência e a castidade. (Gl 5, 22-23)
 
1. Dia: A Caridade
A caridade – “sentimento primordial e raiz de todos os sentimentos”. É o primeiro fruto do Espírito Santo, segundo São Tomás de Aquino.
Na caridade o Espírito San to se dá de forma toda particular “como em sua própria semelhança”, uma vez que Ele é o Amor substancial do Pai para com o Filho, e do Filho para com o Pai.
V – Rogai por nós, Maria, Mãe do Universo!
R – Para que nós também, como vós o fostes, sejamos arrebatados e transformados pela seiva divina do espírito de caridade.
 
Todos os Dias
4. 3 Ave Marias
V - Maria, Mãe do Universo! 
R – Rogai por nós!
5. Oremos:
Ó Mãe, proclamada como Maria, Mãe do Universo, nós vos agradecemos pela vossa intercessão e nos alegramos porque vos preocupáveis conosco desde antes da criação do mundo, e alcançai-nos a graça de vosso Santo Esposo, o Espírito Santo, de vivermos os frutos deste mesmo Espirito todos os dias de nossa vida, por Cristo, vosso Filho amado, Senhor e Salvador nosso. Amém!
 
 
2. Dia: A Alegria
A alegria é o corolário do amor a Deus e ao próximo, “pois quem ama, se alegra por estar unido ao amado”, pois a alegria é consequência da caridade.
A alegria do Espírito Santo é toda sobrenatural e penetra até o fundo da alma.
V – Rogai por nós, Maria, Mãe do Universo!
R – Para que nós, como vós vivestes, possamos viver a algria todos os dias de nossa vida, mesmo nas tribulações.
 
3. Dia: A Paz
Diz-nos São Tomás de Aquino que “a perfeição da alegria é a paz”.
“Nada perturba uma alma abandonada à ação do Espírito Santo, porque ela tem consciência de estar na posse do único bem a que está apegada; sabe que possui a Deus; sabe-se amada por Ele ‘até a loucura’, apesar de sua miséria e, por sua vez, também ama da Deus sem medida.”
V – Rogai por nós, Maria, Mãe do Universo!
R – Para que nós também, imitando-vos, possamos desfrutar dessa paz tão necessária em nossos dias, neste mundo tão agitado e ruidoso, marcado pela violência e pelo pecado.
 
4. Dia: Paciência e Longanimidade
Estes são os frutos que nos levam a atuar de forma correta perante as adversidades.
A paciência nos torna inalteráveis ante os males iminentes.
A longanimidade nos torna imperturbáveis com a prolongada espera dos bens, dado que  a privação destes é um mal.
V – Rogai por nós, Maria, Mãe do Universo!
R – Para que nós, imitando-vos, também possamos suportar sem tristeza de espírito, nem abatimento de coração, os padecimentos fisícos e morais, como vós na Paixão de Vosso Filho; e, pela longanimidade, o vosso Esposo, o Espírito Santo, nos leve a guardar com equinimidade, sem queixas nem amargura, os bens que esperamos de Deus, do próximo e de nós mesmos.
 
5. Dia: A Bondade e a Benegnidade
 
A bondade é a “vontade de agir bem”. Somos compelidos pelo Espírto Santificador a beneficiar os outros, o próximo, assim como agiu o pai em relação ao filho pródigo.
A benegnidade é um praticar efetivo do bem. “Chamam-se benignos aqueles a que o “fogo bom” do amor se inflama em favor do próximo” como o bom samaritano.
V – Rogai por nós, Maria, Mãe do Universo!
R – Para que nós, imitando-vos, tenhamos a graça da vontade de agir sempre bem, mas principalmente a prática efetiva do bem, como vós na visita à sua prima Santa Isabel e nas Bodas de Caná.
 
6. Dia: A Mansidão
 
Pela mansidão refreamos a ira e suportamos com serenidade de espírito os males infligidos pelos outros.
V – Rogai por nós, Maria, Mãe do Universo!
R – Para que nós, imitando-vos, também possamos suportar com serenidade os males infligidos pelos outros, como vós suportastes a ira de Herodes e a truculência dos algozes de Jesus.
 
7. Dia: A Fidelidade
A fidelidade nos faz “manter a palavra dada, as obrigações assumidas, os contratos estipulados”. Ela nos conduz a não fraudar, nem enganar o próximo.
Diz-nos São Tomás de Aquino: “E se a tomarmos – a fidelidade – como fé em Deus, então o homem por ela se ordena ao que lhe é superior, ou seja, dispõe-se a submeter seu intelecto a Deus e, por consequência, tudo o que possui.”
V – Rogai por nós, Maria, Mãe do Universo!
R – Para que em nós também frutifique a fidelidade como vós fostes fiel à vontade do Pai, mantendo a palavra dada até o fim das obrigações assumidas neste mundo para a nossa salvação e salvação do mundo inteiro. 
 
8. Dia: A Modéstia
Modéstia é o observar “o comedimento em tudo o que se diz e faz”.
É manter nossos olhos, lábios, risos, movimentos, enfim, toda nossa pessoa, sem excluir nossos trajes nos justos limites que “correspondem ao seu estado, habilidade e fortuna” (posição social), para não escandalizar, mas para edificar os que nos rodeiam, para dar glória a Deus.
V – Rogai por nós, Maria, Mãe do Universo!
R – Para que possamos imitá-la em nosso agir e falar, para a edificação do nosso próximo, assim como vós, quando apareceis ao mundo, tão nobre no vetir e no falar.
 
9. Dia: A Continência e a Castidade
Segundo São Tomás de Aquino, elas “se distinguem uma da outra, quer porque a castidade nos refreia em relação ao que é ilícito, e a continência, ao  que é lícito, que porque a pessoa continente sofre as concupisciências, mas não se deixa arrastar por elas, enquanto o casto nem as sofre e muito menos as segue.”
V – Rogai por nós, Maria, Mãe do Universo!
R – Para que a nossa alma produza o fruto da castidade, tornando-nos realmente puros como vós fostes pura e sem mancha, e a continência, ao lado da castidade, nos rubosteça a vontade para resistir às concupisciências desordenadas.
 
Obs.: Esta novena foi baseada num artigo dos Arautos do Evangelho e no Catecismo.
Autor: Devoto de Nossa Senhora.




MISSÃO SALVAI ALMAS
Cláudio Heckert, Confidente de Nossa Senhora, residente em Porto Belo, SC
Rua Maria Ramos Guerreiro 104, Vila Nova - CEP 88.210-000

Site: Missão Salvai Almas
Facebook:http://www.facebook.com/salvaialmasoficial
Youtube:http://www.youtube.com/user/SalvaiAlmasOficial
Apoio: Rádio e TV Auxiliadora


Artigo Visto: 4103

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.salvaialmas.com.br